23 de dez de 2009


Não quero te amar


Você morreu. Bem feito! Você foi aquele que me maltratou, que quando tinha o meu maior amor, jogou o pelo ralo, e com ele eu fui junto. Você nunca me tratou bem, mas sempre pediu todo o carinho. Bem feito!
Lagrimas escorreram. Merda. Não era para eu estar assim. Desde quando vou sofrer por você? Não mais. Merda. Mais lagrimas escorrem pelo meu rosto branco. Queria poder dizer que te odeio, queria poder inventar uma desculpa, queria poder ter alguma razão que fosse realmente verdadeira em meu coração. Poxa, eu te amo.
Roguei-lhe pragas, jurei ódio eterno, jurei sorrir no seu enterro. Mas ainda assim, o meu coração se faz em pedaços quando pensa que não vou pode mais te ver. Quando pensa que todas as vezes que você me maltratou, não vão mais acontecer.
Sempre pensei que nunca iria me apaixonar por um cafajeste, sempre pensei que iria ser feliz nos braços de alguém. Mas me apaixonei por você, e me culpo todo dia por te amar. Porque amando você, sofro, porque amando você, perco o meu coração de vista.
Sinto dizer, que realmente te amo. Sinto dizer, que realmente te quero aqui no meu lado, sinto dizer, que prefiro estar morta a estar aqui, ajoelhada no seu tumulo. Com a testa encostando em sua lapide, e lagrimas caindo na grama verde azulada. Sim, eu sinto dizer. Desejo mais que tudo, e mais que todos, que esse amor simplesmente se acabe. Que os seus olhos não signifiquem mais tanto para mim.
Mas então me lembro do seu beijo, e com mais lagrimas escorrendo pelo meu rosto pálido, respiro e entro em mais um transe de dor.

sempre escrevedo, LIA.

0 comentários: